phdvirtual

ESTUDO FEITO PELA CNI APONTA BR-110 COMO PRIORITÁRIA PARA O NORDESTE

BR-110 Campo Grande Informe Mossoró Nordeste Upanema
 Até 2020, Porto de Natal estará operando acima da capacidade máxima
O diagnóstico do estudo Nordeste Competitivo, que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou ontem (30), em parceria com as federações das indústrias dos estados da região, revela que a região Nordeste precisa investir R$ 25,8 bilhões em infraestrutura nos próximos oito anos para garantir o escoamento da produção.

Responsável por 13,5% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Esse valor anunciado é necessário para tocar os 83 projetos de ampliação e modernização de rodovias, ferrovias, hidrovias e portos em Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. De acordo com o estudo, apenas um quarto dos 83 projetos considerados prioritários está em andamento.

Entre os principais projetos estão a pavimentação da BR-110, entre Mossoró e Campo Grande e entre Janduís e Serra Negra do Norte, no Rio Grande do Norte; a construção da BR-110, entre São José do Egito e o entroncamento da BR-412, em Pernambuco; e a pavimentação da BR-110, entre Ibimirim e o entroncamento da BR-316, também em Pernambuco.
Portos
Além das rodovias, os portos também preocupam. Os do Recife e o Complexo Portuário de São Luís, no Maranhão, já operam acima da capacidade limite. Nos próximos anos, também vão operar acima da capacidade o Porto de Natal, no Rio Grande do Norte, o Complexo Portuário de Salvador, e os portos de Fortaleza e o de Pecém, no Ceará. Eles precisam receber investimentos de cerca de R$ 11 bilhões para ampliação e modernização.

O presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN), Amaro Sales de Araújo, que se encontra em Brasília para discutir o estudo com demais representantes das federações, só vai se pronunciar sobre o resultado do estudo na próxima quinta-feira, após seu retorno.
Fonte: De fato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.