STYVENSON DEFENDE RIGOR NA LIBERAÇÃO DO USO MEDICINAL DA MACONHA

Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) realizou nesta terça-feira (9) uma audiência pública sobre a Sugestão 6/2019, que trata da regulação, fiscalização e tributação da maconha medicinal e do cânhamo industrial no Brasil. O senador Styvenson Valentim (Pode-RN) participou da audiência e foi claro em dizer que é contra o uso de qualquer tipo de droga. “Não acho que precisa partir para o campo do uso da maconha como uma política de recreação. Não é por aí. Eu saí da polícia militar e digo que traficante não respeita ninguém. Eu vi de perto o que o tráfico de drogas faz, o que a droga pode fazer na vida das pessoas”, alertou o senador potiguar.

Styvenson defendeu soluções confiáveis para atender os pacientes que precisam do canabidiol, desde que seja com muita segurança para evitar abusos. “Quero saber como pode ser produzido o óleo de forma segura, para ser usado exclusivamente pelos pacientes. Será que o óleo não pode ser feito por uma universidade com qualidade e controle do cadastro dos que precisam? Estamos querendo assegurar o tratamento e a segurança. Precisamos chegar a esse ponto de equilíbrio até achar o que é melhor para todos”, observou.

A mãe da paciente que obteve o primeiro habeas corpus para usar o óleo no Brasil, Liane Maria Pereira, foi assertiva na defesa. “Não esperem precisar para apoiar. O óleo devolveu para minha filha direitos simples da vida como caminhar, brincar e comer”, contou Liane, que tem o apoio de outras mães com filhos que utilizam o canabidiol.

(Veja mais…)

STYVENSON DEFENDE RIGOR NA LIBERAÇÃO DO USO MEDICINAL DA MACONHA
5 (100%) 1 voto

Edinael Castro

Upanemense, militante estudantil em favor da Educação, Cultura e Esporte. Estudante de Fisioterapia. Aqui, será um local para um conversa diária, com intuito sempre do melhor para nossa cidade, tendo a verdade como compromisso e abertura para todas as opiniões. Qualquer dúvida, estamos aqui!

Faça seu Comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.