CONFRONTO ENTRE FACÇÕES DEIXA RASTRO DE VIOLÊNCIA E MORTES

Upanema

Do G1RN, Fim da Linha, Mossoró Hoje e Blog Carlos Santos

Jeane de Melo Nogueira, 14 anos, foi levada de sua casa por vários homens armados — Foto: Arquivo da família

Uma criança de um ano e seis meses morreu com tiro na cabeça e adolescente pode ser outra vítima

Foi encontrado em uma região de mata no bairro Nova Vida (Malvinas), próximo a uma estrada de terra que dá acesso à zona rural do município de Mossoró, na região Oeste potiguar, um corpo carbonizado que pode ser o da adolescente Jeane de Melo Nogueira, de 14 anos, que foi levada de casa por homens armados logo após o assassinato de uma criança de 1 ano e meio, na noite do domingo (4), também no Malvinas.

Segundo a polícia, o desaparecimento de Jeane é tratado como represália pela morte do pequeno Anthony Calleb Bezerra da Silva, já que a adolescente é irmã de dois rapazes presos nesta segunda (5) suspeitos de terem participado da morte do menino.

A criança estava com os pais, em uma motocicleta, quando a família foi atacada a tiros. A mãe do menino segue internada em estado grave.

Já o pai, que segundo os suspeitos era o verdadeiro alvo dos tiros, também está hospitalizado, mas sem risco de morte.

Mais morte

Pouco antes de o corpo ser encontrado, o pai de Jeane esteve na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Mossoró para prestar queixa do desaparecimento da filha. Em agosto, Wellington Martins Nogueira já havia perdido um filho, um jovem de 18 anos, que foi assassinado a tiros.

Segundo a delegada Liana Aragão, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Mossoró, a morte de Anthony Calleb aconteceu por causa de uma guerra de facções criminosas.

“O pai da criança, que assume ser do Primeiro Comando da Capital (PCC), era o alvo. E os irmãos que foram presos, assumiram que são de uma facção rival, o Sindicato do Crime do RN. Eles disseram que não viram que a criança estava na moto. Porém, viram que a mãe estava, mas mesmo assim atiraram”, ressaltou a delegada.

A partir de agora, a DHPP de Mossoró também busca a identificação do corpo encontrado e já começa a investigar o assassinato.

Quinze homens

Débora Maria, Calleb e Iranilson foram baleados e em seguida teria ocorrido represália violenta

Segundo o site Fim da Linha, cerca de 15 homens teriam invadido a casa de Jeane e a levado com uso da força. O caso ocorrido ainda à noite de domingo, é desdobramento da morte de Anthony Calleb no ataque a seus pais, Francisco Iranilson Bezerra da Silva, 23, e Débora Maria Bezerra de Souza, 20.

Os irmãos de Jeane, Geovane de Melo Nogueira, 23, e Jefferson de Melo Nogueira, 21, estão presos e denunciaram ainda a participação de  um menor no ataque que vitimou a criança de um ano e seis meses (veja AQUI). A polícia já apreendeu esse terceiro envolvido.

Essa sequência de tragédias revela algo ainda mais aterrador: a luta sangrenta entre facções criminosas que não temem a força repressora do estado e duelam entre si com extrema violência. Não importa quem esteja à frente.

Mossoró contabiliza até à manhã de hoje, o total de 219 homicídios este ano. Em 2017, o recorde, foram 249.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *