phdvirtual

[leia] Assinada ordem de serviço para o projeto de irrigação do Apodi

Uncategorized


O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, disse ontem que o projeto de Irrigação da Chapada do Apodi tem um padrinho: O Deputado Federal Henrique Eduardo Alves.

“Não teve uma única vez que o deputado Henrique Alves esteve comigo para não me cobrar essa obra”, revelou o ministro, durante a solenidade de assinatura da Ordem de Serviço para o início das obras.
“Todos vocês ajudaram e colaboraram, mas o deputado Henrique Alves é o padrinho desse projeto”, destacou Fernando Bezerra, diante do ministro Garibaldi Filho, da Previdência Social, da governadora Rosalba Ciarlini e de outros políticos que participaram da solenidade, entre eles, os deputados João Maia (PR), Sandra Rosado (PSB) e o senador José Agripino (DEM).

O projeto de 13 mil hectares, sendo nove mil irrigáveis, é, atualmente, a maior obra de irrigação do DNOCS, segundo o diretor Emerson Fernandes. A previsão é de que a obra seja concluída em 30 meses. A execução será feita pelo consórcio EIT/FIDENS. A primeira etapa de 4.024 hectares vai custar R$ 215 milhões.

O dinheiro para o início imediato da construção, no valor de R$ 34 milhões, já está disponível no orçamento do DNOCS.

Os empresários da construção civil que venceram a licitação deverão se instalar em Apodi em outubro próximo e entregar o projeto até o início de 2014.

O projeto, em sua primeira etapa, será dividido em 324 lotes de 8 hectares destinados aos pequenos irrigantes.

Todos eles vão receber um kit com os equipamentos básicos de irrigação. Técnicos agrícolas serão contemplados com 48 lotes de 16 hectares.

Os engenheiros agrônomos vão receber 25 lotes de 24 hectares. Médios empresários vão ficar com 5 lotes de 48 hectares.

”É um projeto equilibrado do ponto de vista social e de oportunidades para quem vive no campo”, lembrou o ministro, ressaltando que haverá integração do perímetro irrigado com a comunidade.

“Apoiaremos os agricultores da vizinhança com água e infraestrutara”, explicou Fernando Bezerra.

Fonte: Fator RRH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *