CASA AZUL VERSUS CASA VERDE: QUEM É MAIS RECEPTIVA, SEGUNDO A OPINIÃO POPULAR?

Blog Candidatos Luiz jairo Manezinho Município Oposição PMDB PR Prefeitura Situação Upanema

Ontem estivemos visitando os dois comitês das coligações partidárias de Upanema. Na Casa azul fomos bem recebidos; a intenção do site era mesmo constatar a receptividade de ambas as casas, simulando um trabalho de informação sobre a campanha deste ano, visando as eleições deste dia 7 de Outubro; Já na casa verde… como sempre fizeram vista grossa, fingindo que não estávamos ali. A análise sobre os diferentes comportamentos, deve-se ao fato de que seríamos adversário da coligação A força da união, segundo a percepção da coligação Upanema no rumo certo; estão equivocados, não somos um partido político, e sim um Site; outra versão seria o fato do governo municipal ser dono de uma estrutura capaz de fazer o trabalho almejado, sem a devida necessidade de recorrer a  Sites que não rezem na cartilha deles.

 A diferença que podemos perceber entre uma e outra coordenação da campanha, é que, por exemplo, a Casa azul trabalha com o espírito de uma campanha em prol do seu candidato, enquanto na casa verde, parece mesmo é que o candidato são eles, a própria coordenação, esquecendo  o espírito de união. Acreditam eles que a estrutura como rádio, jornal, televisão, sites vão dar conta do recado? Não, eles não creem nisso; o que eles acreditam mesmo, e chegam até endeusar, é o próprio Jorge Luiz. Mas será que a tão esperada mala preta sai? E se sai, será que, de repente, um Site qualquer não os flagram com a tal mala? Naturalmente o nosso trabalho não é de entregação, mas de integração.

 Por incrível que pareça, essa é a mesma visão concebida pela comunidade em se tratando de receptividade, quando conversamos com populares, mente aberta e boca controlada, fingindo-se de morto, mas os olhos são como holofotos e ouvidos de tejos, e só comentam sob a garantia de que não poderão jamais ser identificados: são eles os nossos grandes colaboradores, de quem muito necessitamos e agradecemos. 

Fonte: A visão da Época – Por Aldo Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *