ONG PEDE FIM DO CONSUMO DE CARNE DE CACHORRO NA COREIA DO SUL

Cachorros que serão abatidos e servidos como comida são mantidos em jaulas pequenas e com más condições de higiene

Foto: EFE

Uma ONG da Coreia do Sul que luta contra o consumo de carne de cachorro no país denunciou as más condições em que os animais são criados e abatidos.
A ONG Kara é uma das que defendem a proibição da venda da “Kaegogi” (carne canina) nos restaurantes especializados. Segundo o porta-voz da Kara, Seo Bora-mi, os cães “vivem aglomerados em jaulas pequenas sem as mínimas condições de higiene” – e, para sacrificá-los, vários estabelecimentos usam métodos cruéis, como golpes na cabeça e enforcamento.
“Os cachorros fazem parte da vida das pessoas, são inteligentes, percebem o que acontece ao seu redor e expressam seus sentimentos”, afirmou Seo Bora-mi. De acordo com o porta-voz da Kara, cães de todas as raças, “de poodle a maltês”, são sacrificados para serem servidos como comida na Coreia do Sul.
O consumo da “Kaegogi” é uma tradição de milhares de anos na região, mas ocorre ocasionalmente, já que é uma carne relativamente cara (de 10 a 15 euros por pessoa – R$ 25 a R$ 38) e está disponível somente em locais especializados. “É deliciosa e não se pode comparar com a carne de porco ou de vaca”, disse o estudante de engenharia Park Bit-garam, 23 anos, enquanto toma uma sopa de carne de cachorro em um restaurante do mercado de Moran, ao sul de Seul, famoso por criar cães para consumo humano.
Ainda que a legislação tecnicamente proíba a venda e o consumo de carne de cachorro por não considerar o animal como gado, não há nenhuma punição estabelecida. Assim, criadores e comerciantes de cães trabalham em um vácuo legal onde escapam das inspeções e dos controles sanitários.
Fonte: Terra

Edinael Castro

Upanemense, militante estudantil em favor da Educação, Cultura e Esporte. Estudante de Fisioterapia. Aqui, será um local para um conversa diária, com intuito sempre do melhor para nossa cidade, tendo a verdade como compromisso e abertura para todas as opiniões. Qualquer dúvida, estamos aqui!

Faça seu Comentário:

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.