[leia]Polícia Federal apura vazamento do tema da redação do Enem

A suspeita de vazamento do tema da prova da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passou a ser alvo de investigação da Polícia Federal de Juazeiro (BA). Professor de Petrolina (PE) teria ouvido comentários de alunos sobre o assunto da redação, pouco antes da prova, realizada em todo o Brasil no último fim de semana.

O delegado-chefe da Delegacia da Polícia Federal de Juazeiro (BA), Alexandre de Almeida Lucena, afirma que soube do caso na noite de segunda-feira, por meio da imprensa local, que o procurou na manhã desta terça (9/11).

Segundo os relatos da reportagem, disse o delegado, um professor de um cursinho de Petrolina (PE) estava tirando dúvidas dos alunos no sábado, antes da prova, quando foi abordado por um grupo de estudantes que perguntou o que deveriam escrever caso o tema da redação fosse sobre escravidão. “O professor, questionando os alunos porque mencionaram o tema, ouviu que teria vazado o conteúdo da prova, que os alunos já estavam sabendo e teria algo a ver com a escravidão”, contou Lucena, ao acrescentar: “Ele não levou muito a sério, mas posteriormente verificou que um dos textos de apoio falava sobre escravidão do Brasil. Foi aí que decidiu ir até a imprensa e denunciou.”

Ao tomar conhecimento da história, o delegado disse que se adiantou e determinou que policiais fizessem uma investigação preliminar para apurar os nomes dos envolvidos e saber se os relatos procedem. De acordo com o delegado, a procedência dos fatos vai determinar a instauração do inquérito. Se a história tiver fundamento, a investigação oficial deve começar logo na manhã desta quarta-feira (10/11), quando o professor de Petrolina provavelmente será ouvido. Até agora, nenhum dos envolvidos depôs na delegacia de Juazeiro.

Lucena disse que a equipe busca informações consistentes e que, a partir de amanhã (quarta), começará a ouvir as demais pessoas. “São muitos alunos, uma base de 30 souberam da história. Vamos pegar os nomes e saber de onde partiram as informações. Até agora não recebi nenhuma informação oficial, seja de governo, empresa de fiscalização ou do MEC. Tenho que afastar a hipótese do boato para depois instaurar o inquérito. É preciso uma informação concreta do que aconteceu”, destacou.

De acordo com a assessoria de imprensa, o MEC não acredita em vazamento do tema da redação do Enem. O ministério avisou que vai aguardar a apuração da Polícia Federal para se pronunciar oficialmente. “A gráfica responsável pela prova assumiu a responsabilidade do problema de impressão, fez carta e a gente tornou público. Não acreditamos que haja outro problema com o Enem”, declarou a assessoria.

Fonte: DN Online

Compartilhe

[leia] Projeto de Fábio Faria sobre Bullying é citado em livro do especialista Lélio Calhau

O conceituado criminologista Lélio Calhau, autor do livroBullying, O Que Você Precisa Saber” (RJ, Editora Impetus, 2009), cita o Projeto de Lei apresentado pelo deputado federal Fábio Faria (PMN), que caracteriza a prática de bullying como crime, sujeito a detenção de três meses a um ano e multa.

Em seu livro, Lélio Calhau, que também é Promotor de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais, traz os conceitos básicos debullying. A ocorrência desse fenômeno, cujos registros crescem em todo o mundo, chamando a atenção de especialistas e alarmando a sociedade, é estudada em diversos níveis. Há o chamado cyberbullying, praticado no ambiente virtual; o bullyingno trabalho; o homofóbico; o escolar; o que ocorre em instituições militares, dentre outros exemplos apontados por Calhau. O autor apresenta ainda sugestões para a implantação de programas de combate à prática e comenta as primeiras decisões do Poder Judiciário brasileiro que reprimem o bullying.

Segundo Fábio Faria, embora o termo bullying (em inglês, amedrontar, intimidar) seja normalmente associado ao universo infanto-juvenil, a prática também afeta os adultos. “Além de ser uma agressão moral, é uma atitude de humilhação que pode deixar sequelas emocionais à vítima”, ressalta o parlamentar. E o deputado ainda lembra que a informação pode ser o primeiro passo para a resolução do problema: “A iniciativa do professor Calhau em publicar uma obra como essa é sem dúvida essencial para que se dissemine a discussão sobre o temabullying em nosso país. Só devidamente informada sobre o assunto a sociedade tem condições de identificar os casos para combatê-los de forma mais rápida e eficaz”.

Em seu texto, o Projeto de Lei 6935/10 descreve que, se obullying – ato de violência praticado com o objetivo de constranger ou humilhar a vítima – resultar em violência física, a detenção será de três meses a um ano e multa. E se envolver preconceito de cor, etnia, religião, idade ou limitação física, a pena será ainda maior: reclusão de dois a quatro anos e multa. Conforme o projeto, o juiz poderá deixar de aplicar a sanção se entender que o ofendido provocou a intimidação.

TRAMITAÇÃO

A proposta teve parecer favorável do relator, deputado Francisco Tenório, e será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se aprovado, o projeto vai automaticamente para a sanção presidencial.

FONTE: Assessoria de Imprensa Dep. Fábio Faria

Compartilhe

[veja]Atenção! Sobre os gabaritos do ENEM

Informamos que, por decisão liminar de primeira instância da 7ª Vara Federal do Ceará, não publicaremos, conforme previsto em edital, os gabaritos das provas do Enem 2010 a partir das 18h de hoje, 9. Por força da mesma decisão liminar, também não estará disponível nesta página a partir de amanhã, dia 10, o sistema para requerimento de correção aos participantes que não tenham marcado o cartão-resposta na ordem numérica de seu caderno de provas realizadas no sábado, dia 6.

A Advocacia-Geral da União, AGU, recorrerá da decisão ainda nesta semana.

Compartilhe

[leia] Léo Magalhães estará em Apodi dia 7 de Dezembro

O cantor e compositor Léo Magalhães será atração do próximo dia 7 de dezembro em Apodi. A data já está na agenda de show do site oficial do cantor. O show que acontecerá em plena festa de padroeira Nossa Senhora da Conceição promete reunir um público recorde no Parque de Vaquejada Francisco Joaquim de Sales.

Léo estará lançando o seu novo DVD amanhã dia 10/11 em Goiânia onde o novo trabalho terá a participação especial do apaixonado Amado Batista.

Léo Magalhães é um jovem cantor que está na mídia nacional, chagando a ocupar sempre a 1ª posição nas paradas musical de algumas rádios de todo Brasil. O talentoso rapaz foi um dos vencedores da Garagem do Faustão assim como também foi o escolhido pelo público para abrir o Sertanejo Pop Festival. O evento que aconteceu nos dias 23 e 24 de outubro na Chácara do Jockey, em São Paulo. Reuniu grandes nomes do sertanejo pop: Luan Santana, Maria Cecília e Rodolfo, João Bosco e Vinícius, Michel Teló e muitas outras feras.

Leylla Carla
Assessoria de Comunicação do Evento

Compartilhe

[leia]Justiça Federal do Ceará determina suspensão do Enem em todo o país

A Justiça Federal do Ceará suspendeu nesta segunda-feira o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), acatando um pedido de liminar (decisão provisória) feito pelo Ministério Público Federal. A decisão tem efeito em todo o Brasil. Cabe recurso.

A decisão da juíza federal Carla de Almeida Miranda Maia, da 7ª Vara Federal, se baseou no argumento de que o erro da impressão das provas prejudicou os candidatos. “O cartão de resposta tinha a mesma divisão de cabeçalho, porém a ordem desses mesmos cabeçalhos estava trocada”, escreveu.

Em seu despacho, a juíza afirmou ainda que, “em algumas salas”, os candidatos foram orientados a preencher o gabarito invertendo a ordem das respostas, o que seria incorreto, pois apenas os cabeçalhos das questões haviam sido alterados. Para ela, a realização de novos exames para parte dos candidatos “poria em desigualdade todos os candidatos remanescentes”.

“Esses erros de impressão, de montagem e de aplicação das provas do Enem foram todos admitidos pelo Inep, o qual se manifestou sobre isso de forma pífia”, escreveu.

Em nota, o procurador da República Oscar Costa Filho afirmou que a decisão traz “segurança e estabilidade”. Há duas semanas, antes que o Enem fosse realizado, o procurador pediu a suspensão do Enem, por considerar que não havia segurança na aplicação da prova.

“O exame está suspenso e estamos postulando, evidentemente, a anulação da prova. Essa suspensão é importante porque põe ordem na casa, ou seja, acaba com essa incerteza generalizada, de ninguém saber de nada, de como ia ficar”, disse Costa Filho.

Para o procurador, é preciso identificar e punir os responsáveis pelo ocorrido. “Como se justifica um erro grosseiro como esse na troca de um gabarito?”, questionou.

Segundo ele, os organizadores do exame atribuíram às escolas a decisão de escolher os fiscais. Para ele, essas tarefas deveriam ser atribuídas a universidades federais.

OUTRO LADO

O MEC (Ministério da Educação) informou que vai prestar esclarecimentos à Justiça Federal e nega prejuízo aos candidatos.

Em nota, o ministério informou que “a preocupação da magistrada referente à igualdade de condições dos concorrentes está assegurada pela utilização da Teoria de Resposta ao Item (TRI).”

A TRI, diz o MEC, permite a comparabilidade no tempo. Com ela, “o conjunto de modelos matemáticos usados no Enem permite que os exames tenham o mesmo grau de dificuldade”.

O ministério citou o caso de estudantes do Espírito Santo que foram impedidos de fazer a prova devido a enchentes no ano passado, mas acabaram realizando um mês depois, na mesma data que presidiários.

PROBLEMAS

No sábado (6), primeiro dia de prova, parte dos exemplares saiu com folhas repetidas ou erradas. Nesses casos, os alunos não receberam todas as questões. Já no cabeçalho dafolha de respostas recebida por todos os alunos, o espaço para o gabarito das questões de ciências da natureza estava incorretamente identificado como ciências humanas.

Ontem, o presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), Joaquim José Soares Neto afirmou que o problema nas provas amarelas ainda está sendo dimensionado. Ao todo, as provas são divididas em quatro cores. Uma estimativa preliminar e extraoficial é que cerca 2.000 estudantes tenham feito a prova incompleta.

A suspensão do Enem já havia sido defendida pela seção paulista da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e pela Defensoria Pública da União.

Na noite de sábado (6), Soares Neto repetiu em diversas ocasiões de uma entrevistacoletiva concedida em Brasília que não havia possibilidade de o exame ser anulado.

Ao todo, o Enem teve 4,6 milhões de inscrições neste ano. Porém, a abstenção foi de27% no sábado e fechou o domingo em 29% –cerca de 3,3 milhões compareceram em 1.698 cidades do país.

No ano passado, quando a prova vazou e foi adiada, a abstenção ficou próxima dos 40%.

A previsão do MEC (Ministério da Educação) é que os inscritos no exame concorressem a83 mil vagas em 83 instituições federais de ensino, por meio do Sisu (sistema que destina vagas em instituições federais apenas com base na nota do Enem).

Do Jornal FOLHA.com

Compartilhe

[leia]Enem 2010:Gráfica assume erro de impressão no caderno de cor amarela da prova

A gráfica RR Donnelley encaminhou nesta segunda-feira, 8, carta ao presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Joaquim Soares Neto, na qual assume a responsabilidade pelos erros de impressão no caderno de questões de cor amarela das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010.

“Durante a aplicação do primeiro dia do exame, identificamos, fazendo a leitura dos quatro itens de caderno de provas que contêm as mesmas questões em quatro ordens distintas de diagramação, que em um dos lotes de produção tivemos um problema de processo, resultando na impressão de 33 mil cadernos de provas amarelas com um defeito de ordenação”, explica a direção da gráfica. Desse conjunto de cadernos, segundo a empresa, aproximadamente 21 mil foram efetivamente distribuídos.

A gráfica informa ainda: “Cabe ressalvar que foram impressas e distribuídas por todos os pontos de aplicação no Brasil, quase um milhão de provas que compõem a reserva técnica operacional da aplicação. Entre as funções dessa reserva técnica operacional está a substituição de provas com defeito de impressão obtidas na mesma sala da aplicação ou em qualquer outra sala de aplicação dessa escola”.

Ao final do documento, a RR Donnelley diz estar à disposição do Inep para esclarecer qualquer dúvida técnica e a colaborar de forma efetiva na busca de solução dos problemas possivelmente acarretados a um número restrito de alunos.

Confira a íntegra da carta

Compartilhe