Prêmio Viva Leitura tem inscrições abertas a partir do dia 28 de março

Data: 28 de março de 2011 8:00 até 20 de julho de 2011 18:00
A partir do próximo dia 28 de março estarão abertas as inscrições para a 6ª edição do Prêmio Viva Leitura. Integrado ao Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), o prêmio foi criado em 2006 por iniciativa do Ministério da Educação (MEC), do Ministério da Cultura (MinC) e da Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), e é realizado e patrocinado pela Fundação Santillana, com apoio do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) e da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação).
O programa prevê edições anuais que devem acontecer até 2016 e tem por objetivo promover a leitura no país, sendo considerado a maior premiação individual de reconhecimento à leitura no Brasil.
Os interessados em participar podem se inscrever em 3 categorias: Bibliotecas públicas, privadas e comunitárias; Escolas públicas e privadas; e Sociedade (ONGs, pessoas físicas, pessoas jurídicas, instituições de ensino superior, instituições sociais e empresas públicas ou privadas), sendo esta última passível de outorgar “Menção Honrosa” a instituições públicas ou privadas que se adequem aos critérios presentes no regulamento do programa. Este ano as inscrições permanecem abertas até o dia 20 de julho.
O processo de seleção dos vencedores levará em conta a clareza entre os objetivos e os resultados alcançados, adequação do trabalho à idade do público alvo, pertinência do projeto com as características da comunidade a que se destina, qualidade, criatividade e potencial de replicabilidade.
Mais informações sobre o regulamento e a forma de inscrição podem ser obtidas no site http://www.premiovivaleitura.org.br/ a partir do dia 29 de março.
Com informações do Consed
Compartilhe
Publicidade

Encontro reúne gestores públicos e agentes-chaves em Laranjeiras (SE)

O município de Laranjeiras, em Sergipe, é mais um dos integrantes do projeto Parceria Votorantim pela Educação que começou a colocar em prática o plano estratégico referente ao primeiro ciclo de trabalho. No dia 21 fevereiro, a equipe de mobilização do projeto realizou um encontro que reuniu diversos gestores públicos da cidade. Entre os participantes estavam a Prefeita, Maria Ione Macedo Sobral; o Secretário de Educação, Geraldo Vieira da Silva; o Secretário de Cultura e Turismo, Irineu Silva Fontes Júnior; a Secretária de Assistência Social, Zulmira Maria Correia Sobral Bomfim; e o Secretário de Planejamento, Paulo Meneses Leite.
O objetivo da reunião foi apresentar a nova metodologia do projeto, destacando o apoio à gestão pública como uma das frentes de atuação, e discutir com o grupo caminhos para a implementação de ações de mobilização que visem a melhoria da qualidade do ensino no município.
Após uma longa conversa que, na avaliação da mobilizadora local, Paula Toze, foi bastante proveitosa, o grupo definiu dar ênfase à realização do plano de mobilização em três escolas, inicialmente. “A ideia é trabalhar mais ativamente com essas escolas de modo a otimizar os resultados, e, à medida que o projeto se fortalecer na cidade, daí, então, estender as ações para toda a rede”, explica a mobilizadora.
Ela conta que o intuito do grupo ao tomar esta decisão é evitar que as ações se dispersem. Em Laranjeiras, a rede de ensino ainda tem muitos problemas e apresenta um baixo desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). “Há muito a ser feito nessas escolas, mas optamos por direcionar o potencial do projeto a um universo menor, o que nos permitirá ter um maior controle das ações e, consequentemente, resultados mais eficazes”, diz.
As escolas selecionadas para essa primeira etapa são: E.M. Dr. Lourival Baptista; E.M. Jose Monteiro Sobral; e E.M. Ver. Manoel Sizino Franco.
Um segundo encontro entre os gestores públicos e a equipe do projeto Parceria aconteceu no último dia 4 de março. A consultora técnica Ana Paula Melin, da Comunidade Educativa Cedac, também estava presente e abordou com o grupo a questão dos sistemas de avaliação de ensino do País, tema que abre o primeiro ciclo de atividades de apoio à gestão pública.
Mobilização social
Aproveitando a visita da consultora técnica na cidade, a equipe de mobilização também organizou um encontro com o grupo de agentes-chave externos para dar andamento às ações de mobilização social do projeto. De acordo com Paula Toze, todos participaram ativamente das discussões, dando ideias e tirando dúvidas, num clima de total entrosamento. “O grupo estava bastante engajado e disposto a trabalhar pela educação”, comemora.
Terminada a reunião, os agentes-chave já saíram com uma primeira missão a cumprir: realizar uma pesquisa com os familiares dos alunos das três escolas do projeto para saber como são feitas as reuniões de pais que acontecem periodicamente. A proposta é identificar as características dessas reuniões e avaliar com estes familiares o que eles acham que pode ser feito para aprimorar este importante canal de integração com a escola. Para isso, oito integrantes do grupo visitarão essas famílias para colher as informações. Ao todo serão aplicados cerca de 500 questionários na comunidade.
Os resultados desse levantamento serão apresentados posteriormente aos gestores públicos e a equipe pedagógica das escolas.  A partir desses dados também será realizado um encontro para abordar o tema com os pais, reforçando assim a importância de se valorizar a educação. Uma das ideias que surgiu na reunião foi a organização de uma peça teatral para falar sobre o conteúdo da cartilha “Acompanhem a vida escolar de seus filhos”, desenvolvida pelo Ministério da Educação (MEC). “Esta seria uma forma eficaz de fazer com que a informação chegue igualmente para todos, já que na nossa comunidade existem pais que não foram alfabetizados e não teriam condições de ler a cartilha”, conclui a mobilizadora.
Por Cleide Quinália / Blog Educação
Compartilhe
Publicidade

Educação infantil, fundamental e profissional são prioridade, diz Haddad

O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse na quarta-feira, 23 de março, que a educação infantil, o ensino fundamental e a educação profissional formam um tripé de ações, que tem o papel de alavancar o desempenho da educação no Brasil. A afirmação foi feita durante abertura dos trabalhos da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, em Brasília.
“O conjunto de ações nessas áreas compõe, hoje, a pauta prioritária do MEC”, destacou Haddad. Na educação infantil, o ministro refere-se ao Proinfância, programa de construção e reestruturação de creches e pré-escolas, que foi incluído na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2). Em relação ao ensino fundamental, os avanços são relativos ao piso nacional do magistério, de R$ 1.187 em valores atuais, e a recente liberação de bolsas de mestrado para professores da educação básica.
Sobre a educação profissional, Haddad citou o programa de concessão de bolsas para estudantes da educação profissional, o Pronatec, e informou que o projeto de Lei que institui o programa será enviado ao Congresso em breve. O ministro também lembrou de ações já em curso, como a expansão da rede federal de educação profissional e tecnológica e o Brasil Profissionalizado. “Só para que os estados invistam em educação profissional, no âmbito do Brasil Profissionalizado, os recursos são de R$ 1,5 bilhões”.
Avanços
Ainda na Câmara, Haddad destacou os avanços da legislação brasileira no período de 2003 a 2010. Citou medidas como a extinção da Desvinculação dos Recursos da União (DRU) para a educação, o estabelecimento do ensino fundamental de nove anos e a criação do Fundo de Manutenção e Valorização da Educação Básica (Fundeb).
Para 2011, segundo Haddad, a principal meta referente à legislação é a aprovação pelo Congresso do projeto de Lei que institui o Plano Nacional de Educação (PNE), que vai vigorar de 2011 a 2020. Na terça-feira, 22 de março, a Câmara dos Deputados criou uma comissão especial para facilitar a tramitação do projeto.
Fonte: MEC
Crédito da foto: Wanderlei Pessoa

Compartilhe
Publicidade

De olho no vestibular

Vírgula no lugar.

O uso correto da vírgula e a sua posição são tão importantes que, em alguns casos, se o sinal troca de lugar, muda todo o sentido de uma frase. E pode causar tanta confusão… Confira os exemplos.

– Um advogado escreve para o juiz: “Esse, juiz, é corrupto”, se referindo a um outro advogado. E, se elimina a vírgula: “Esse juiz é corrupto”, acaba ofendendo o juiz.

– Um amigo em situação complicada escreve ao outro: “Vamos perder, nada foi resolvido”. O outro se desespera, mas na verdade o que o amigo queria dizer era “Vamos perder nada, foi resolvido”.

E você, já leu ou escreveu alguma frase parecida com essas? Conte para nós aqui no blog. Contribua com nosco através dos comentários.

Compartilhe
Publicidade

Secretária fala sobre formação de professores no fórum da Undime

Destacando o papel fundamental do professor na melhoria do Ensino Público no país e no Rio Grande do Norte, a secretária estadual de educação, professora Betânia Ramalho Leite, falou na tarde dessa quinta-feira (24) no 13º Fórum Estadual da Undime (União dos Dirigentes Municipais de Educação), realizado no Centro de Treinamento de Ponta Negra “João Paulo II”.

“A formação de professores está vinculada diretamente a grande expectativa, e necessidade, da melhoria da Educação. O professor está inserido no epicentro da Educação”, afirmou Betânia Ramalho em sua palestra aos secretários municipais de todo o Rio Grande do Norte.

Versando sobre o tema “Fórum Estadual Permanente de Apoio a Formação Docente”, a palestra da secretária também chamou a atenção para a necessidade de uma maior integração por parte dos gestores da Educação no Estado. “Todos estamos diante dos mesmos desafios. Tanto os secretários municipais de educação como nós da secretaria estadual. Precisamos caminhar juntos. Precisamos ter um projeto de Educação único para o Estado”, ressaltou.

A professora Betânia Ramalho, na condição de secretária estadual de educação, é a presidente do Fórum Permanente de Apoio a Formação Docente. O Fórum foi instituído em 2009 pelo Ministério da Educação com a finalidade de disciplinar a política de formação continuada de professores da rede pública de Educação Básica. É composto por todas as instituições de Ensino Superior do Estado, a Undime, Sindicato dos Trabalhadores da Educação, e Fórum das Licenciaturas.

Antes da palestra da secretária Betânia Ramalho no evento da Undime, falou sobre o tema a professora Márcia Gurgel, da UFRN, destacando os objetivos do Fórum Permanente de Apoio a Formação Docente e os cursos oferecidos no Rio Grande do Norte.

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte oferece hoje 10 cursos de licenciatura à distância para professores da Educação Básica em 14 pólos localizados em várias regiões do Estado. Oferece também 08 cursos de formação continuada.

O fórum da Undime prossegue nesta sexta (25) com palestras sobre: Merenda Escolar, Programa Mais Educação, Proinfo, Plano de Ação Articulada, e Diretrizes Curriculares da Educação Infantil.
Compartilhe
Publicidade

DIAS 28 E 29- VAMOS PARAR!

 PARADA DE ADVERTÊNCIA

Como deliberado pela categoria, a nova paralisação acontecerá por 48horas. Nos dias 28 e 29 de Março iremos paralisar as nossas atividades puxando uma assembleia para a terça-feira com o edital de convocação trazendo a pauta de indicativo de greve. Teremos a presença de sindicalistas da região, participação de artistas, apoio de lideranças políticas, vereadores, grêmio estudantil, presidentes de associações, pais e alunos e de  quem mais queira nos apoiar.

 
Estamos convocando os servidores da educação e das demais secretarias ( da saúde, motoristas,guardas municipais, garís, asd) para também lutarem por seus direitos!
Gostaríamos de poder contar com a presença dos nove veradores, que por sua vez só estariam fazendo o seu papel de lutar junto aos servidores. Acreditamos que vossas presenças seriam uma manifestação a favor da educação! 

Sintam-se convidados!

Fonte: Ser Pensante, por Rosemary Sobral.

Compartilhe
Publicidade

Jogo do Bicho está com os dias contados em Caicó e em todo o RN

A exploração do jogo do bicho em Caicó pode estar com os dias contados. O Ministério Público do Estado publicou no Diário Oficial do Estado uma recomendação destinada ao delegado geral de Polícia Civil pedindo que sejam adotadas providências efetivas e imediatas na repressão ao jogo do bicho, atividade contravencional prevista no artigo 56 do Decreto-lei nº 6.259/1994. 
O MP quer que a polícia faça um mapeamento de todos os pontos onde há comercialização e exploração da atividade no RN, bem como das pessoas que promovem ou facilitam a realização da prática. O promotor de justiça Wendell Beetoven, autor da recomendação publicada no último dia 11 de março, também pede que a Polícia Civil investigue se há algum tipo de envolvimento de policiais na atividade. 
Em Caicó o comandante do 6° Batalhão da Polícia Militar em Caicó, Tenente Coronel Antonio Cipriano de Almeida, informou nesta terça feira que já recebeu a recomendação do Ministério Público,  determinando  a repressão ao jogo do bicho, que é considerado crime de contravenção final.
Em âmbito estadual o Cel. Francisco Araújo, comandante Geral da PM-RN recebeu na determinação na ultima semana e nos proximos dias irá se reunir com outros orgões militares do estado onde irá traçar um plano de atuação no combate a pratica ilegal do jogo do bicho.

Após receber a recomendação o comandante Geralc da PM determinou a publicação do mesmo  no Boletim Geral da PM e consequentemente tambem determinou a divulgação da ordem nos demais  batalhões, Companhias e destacamentos. 

O Comandante da PM já determinou que os policiais militares que estejam efetuando o seu trabalho cumpram a decisão de reprimir a atuação dos que fazem o jogo do bicho funcionar, acompanhando a funcionalidade das bancas e dos seus respectivos cambistas.
Os PMs que flagrarem os cambistas fazendo os jogos estão autorizados a levar os mesmos até a Delegacia de Policia Civil para que os procedimentos legais sejam feios,  e tambem apreendam os equipamentos e objetos que estejam na pratica delituosa,  como por exemplo as chamadas bancas, boias e até, Lapis.
Fonte: Eduardo Dantas
Via: Sentinelas do Apodi
Compartilhe
Publicidade

De olho no vestibular

Estamos dando inicio hoje a um novo cronograma de postagens, onde iremos disponibilizar conteúdo voltado ao vestibulando. Nosso quadro foi “batizado” de: “De olho no vestibular”.

1ª) Vendeu A VISTA  ou  À VISTA?
Se alguém “vendeu a vista”, deve ter vendido “o olho” (a vista = objeto direto). Seu desespero era tanto que primeiro vendeu o carro, depois vendeu um rim e agora vendeu a vista.
Se não era nada disso que você queria dizer, então a resposta é outra: “vendeu à vista”, e não a prazo (à vista = adjunto adverbial de modo).
Observe que nesse caso não se aplica o macete da substituição do feminino pelo masculino (à vista > a prazo).
Por causa disso, há muita polêmica e algumas divergências entre escritores, jornalistas, gramáticos e professores.
Sou a favor do uso do acento da crase em todas as locuções adverbiais femininas: à beça, à força, à mão, à tarde, à toa, à ultima hora, à vista, à vontade, às avessas, às claras, às vezes.

Compartilhe
Publicidade